Publicado em 9/4/2012

Café com arte e técnica

Quem via a menina Carol, aos 12 anos, se esticando inteira para alcançar a máquina de café do Lucca Cafés para ajudar os pais a dar conta da clientela do fim de semana, provavelmente não imaginava que, aos 20, ela seria bicampeã brasileira de prova de café e atual campeã brasileira de preparo da bebida. O último título foi obtido em março em uma competição realizada pela Associação Brasileira de Café e Barista.

Além de ser responsável pela compra de café, controle de torra e treinamento de baristas do Lucca, Carolina Franco divide o tempo entre a faculdade de Nutrição e as aulas que dá no curso de Tecnologia em Gastronomia. A jovem se considera “o chaveirinho” dos competidores e baristas, mas fala de café feito gente grande e, em junho, representará o Brasil no Mundial de Preparo de Café, em Viena.

O Campeonato de Preparo de Café é uma novidade no Brasil. Como ele funciona e qual a importância desta nova categoria?

O primeiro mundial de preparo de café foi no ano passado e nós trouxemos a categoria para o Brasil. Ela é superimportante porque no meio dos cafés especiais a gente dá muita importância para o expresso e o café coado, que é de igual qualidade, fica meio apagado. O campeonato preza pela qualidade da extração do café coado, mas não é só baseado na bebida. Você tem que fazer uma apresentação, mostrando conhecimento do café, da torra, do preparo e o que tudo isso vai agregar na bebida.

O café coado tem a vantagem da facilidade...

Sim. Para o expresso é preciso ter uma máquina específica, por isso o café coado é o de maior consumo no mundo. O problema é que, no Brasil, usamos, em média, 100 gramas de café por litro [de água], com uma moagem muito fina. Há muito contato do pó com a água e uma superextração. A bebida fica superforte. O recomendado para café especial é de 60 a 70 gramas por litro, com granulometria mais grossa, daí você extrai só o que o café tem de bom.

Você tem outras dicas para fazer um bom café em casa?

Lavar o filtro de papel com água quente antes, por exemplo, para tirar o gosto de cloro. É bom também molhar um pouco o pó antes [de passar o café], como se fosse uma pré-infusão, esperar uns 10 segundos e depois continuar jogando [a água], sempre com um fio contínuo e em círculo. A água não pode estar fervendo, tem que estar em torno de 93 graus C.

Fonte: Gazeta do Povo

Cursos e Workshops

Data Horário Associado Curso Cidade
26 a 28/04/2012 9h00 às 17h00 Cafemaq Curso de Barista Campinas / SP
28 a 29/04/2012 08:30 às 17:30 Barista para Iniciantes Academia do Café Belo Horizonte / MG
05/05/2012 9h00 às 13h00 Lucca Cafés Especiais Batel Preparação de Cafés Especiais em Casa Curitiba / PR
19 a 20/05/2012 9h00 às 13h00 Lucca Lab Curso Básico de Barista Curitiba / PR
24 a 26/05/2012 9h00 às 17h00 Cafemaq Curso de Barista Campinas / SP
veja a programação completa